AllexInCasa: pra quem sempre volta pra casa

Just another WordPress.com site

Archive for março 2009

O Aviador

with 4 comments


Acima, a poltrona F1

Lembra do Sergio Faher, autor daquela cadeira construída com palhetas de guitarra? Pois ele ataca novamente, desta vez com o alumínio de aviação como matéria-prima motriz para as peças, inspiradas no universo aeronáutico.


Mesa de centro JAPAN

A dificuldade de encontrar tecnologias no Brasil que viabilizem os projetos é um estímulo para o desenvolvimento de novos sistemas construtivos”, explica Fahrer.  “A Coleção 2009 é uma das mais completas e, com certeza, a mais arrojada e tecnológica que já desenvolvi”.


Banco DC-3

Olho no conceito da coleção, by Fabiana Freire (Sobral), que diz tudo: para a sustentação das peças, Fahrer criou um sistema construtivo pioneiro, que batizou de “nervura estrutural”. O conceito foi inspirado nas asas dos aviões, que utilizam desenho e estruturação semelhantes para se manterem firmes durante o vôo. O resultado são peças leves, extremamente resistentes, que parecem flutuar. Esse efeito só foi possível graças ao estudo inédito de engenharia feito sob medida para a coleção, que faz com que as bases das peças se mantenham firmes mesmo tendo apenas 4 mm de espessura. Proporcionalmente falando, a estrutura é o equivalente ao traço de uma lapiseira 0.5 no desenho de um móvel feito em uma folha de papel A4. Por conta do ineditismo do processo, Fahrer está obtendo a patente dessa tecnologia. Outro detalhe importante é que o desenho exclusivo da “nervura estrutural” confere uma identidade particular às peças e associam o desenho ao trabalho do designer.


Mesa de centro LOLA

O alumínio reciclado de aviões fora de uso ainda ganha desenhos nas bases de algumas peças recortados por um jato de água em alta pressão – como o corte a laser poderia deformar as peças graças ao calor emitido, a solução foi encontrar outro sistema para garantir os desenhos originais de cada peça.


Cadeira NENA (acima, à esquerda, detalhe da vista lateral)

Entre os revestimentos, as madeiras naturais certificadas pelo FSC e o couro calçadista – mais conhecido como “recouro” – estão entre os destaques. O couro é mais uma inovação da Meccane, que mantém a preocupação ecológica na ordem do dia. Usado tradicionalmente em calçados, Fahrer inova ao aplicar o material para revestir mesas, poltronas e bancos. Como resultado, surgem várias opções de padrões e texturas – 18 delas ao todo –, nunca vistas antes em mobiliário. A vantagem do material é a altíssima resistência. Difícil de riscar, manchar ou danificar, o “recouro” é obtido através de um processo industrial especial, em que sobras reaproveitadas se transformam em rolos de couro natural reprocessado.

O lançamento é da Meccane (www.meccane.com.br)

Written by AllexInCasa

março 31, 2009 at 11:59 pm

Bonequinhas de luxo

with 3 comments

Audrey Hepburn que nos dê licença, mas não existe luxo mais luxuoso do que a solidariedade. E entre as entidades brasileiras que realizam ações sociais com um pé na filantropia e o outro no estilo, a Orientavida (www.orientavida.org.br) integra o time das mais relevantes.

Criada em 1999 com o objetivo de capacitar as mulheres da cidade de Potim (município carente na região de Guaratinguetá), ensinando técnicas de costura, bordado, crochê e tricô, num processo notável de geração de renda para a comunidade, a Ong completa dez anos com grandes feitos. Quer um exemplo de fé? Foi a turminha de Potim que bordou os enxovais do Papa Bento XVI, em seu périplo recente pelo Brasil.

A dedicação e profissionalismo são tamanhos, que uma das técnicas mais complexas dominadas pelas bordadeiras é o Boutis, criado originalmente na França, para o enxoval de Napoleão Bonaporte. Madame Nicoile, presidente do Museu Francês do Boutis, veio de Paris especialmente para ensinar o ponto raro às bordadeiras de Potim, processo que levou meses.

Para celebrar esta primeira década sem dar ponto sem nó, a Orientavida bolou uma coleção lúdica-divertida-descolex de bonecas personalíssimas: “Estamos homenageando as mulheres que nestes 10 anos nos ajudaram, cada qual à sua maneira. Fizemos 25 bonecas lindas, inspiradas nelas”, conta Celeste Chad, presidente e fundadora da instituição.

Na foto abaixo, ao centro, a versão doll da nossa big boss de Casa Vogue, Clarissa Schneider, uma das colaboradores assíduas da ONG. Gostou do look? Imagine que a Bob Store confeccionou o jeans sob medida para a chiqueria da mulher, ladeada por Helena Montanarine (esquerda) e Maguy Etlin (direita).

Essas e outras “bonequinhas de luxo” estarão à venda no coquetel de comemoração que rola no dia 15 de abril, no Oscar Café. A renda, é claro, será totalmente revertida para a Orientavida.


Da esquerda para a dir.: bonecas inspiradas em Helena Montanarine, Clarissa Schneider e Maguy Etlin / foto: Divulgação

Written by AllexInCasa

março 30, 2009 at 7:15 pm

Set listra

with one comment

Desta vez, as listrinhas tipo arco-íris que colorem o post do dia não têm nada a ver com Mister Marton. A série de abajures Luz Luz, do Rodrigo Kurhi, em edição limitadíssima (são apenas 9 peças, todas numeradas), explora o padrão risca-de-giz com material importado: “Continuo a explorar a madeira como matéria-prima para a base de abajures. Já para as cúpulas, fui buscar algo colorido, simples e feliz. Encontrei isso na Liberty de Londres”, conta sobre o tecido que faz um tie die suave de cores que puxam para o rosa, em contraste com a rusticidade do compensado. Confira (e bom finde):

Written by AllexInCasa

março 27, 2009 at 6:00 pm

Torta holandesa

leave a comment »

Sábado estive na florisbela Holambra, aqui pertinho de Sampa (adoro aquele clima!) e, mais uma vez, voltei com o carro abarrotado de plantas & traquitanas (culpa da minha mãe, maníaca por flores e afins). Como ninguém é de ferro, também trouxe um mimo para a sacadinha do apê: uma cadeira tripé de madeira, über-rústica, feita de madeira de demolição, que mostro pra vocês quando criar coragem (ou quando a primavera chegar).

Como quase todo mundo sabe, a cidade campineira foi colonizada pelos holandeses, e carrega na arquitetura e na cultura de consumo aquele apelo colonial europeu quase folclórico, mas que sempre causa comoção. Tudo a ver com a Holanda do começo do século 20; pouco a ver com a Holanda do terceiro milênio, uma das mecas mais produtivas do design escandinavo-contemporâneo.

Outro dia, zapeando a web em busca de news, dei de cara com o site do Aldo Bakker (www.aldobakker.com). Sangue novo no design nórdico, Bakker desafia a ergonomia (desafia, não despreza) com formas aerodinâmicas bastante acentuadas, seja na madeira, no vidro, nos polímeros ou nas cerâmicas temperadas que assina. Entre pufes redondinhos e poltronas de traço longo e ligeiro, a linha tableware, minimal ao extremo, é de cair o queixo.  Veja nas fotos acima.

Written by AllexInCasa

março 26, 2009 at 5:58 pm

Versace versátil

leave a comment »

Dando continuidade ao burburinho do martelo, como prometido, segue o top 10 do acervo de Gianni Versace, leiloado pela Sotheby’s na semana passada.


Poltrona esculpida em peça sólida de mogno no ano de 1835, arrematada por 2.250,00 libras

Sofá italiano de 1835, arrematado por 4.750,00 libras

Bem mais light que o “quem dá mais?” de Yves Saint Laurent, o arremate dos objetos da casa do estilista na Villa Fontenelle, às margens do lago do Como, Norte da Itália (playground italiano de estrelas do pop, onde Gianni recebia Madonna, Elton John, Whitney Houston e outros stars que já venderam mais de 100 milhões de cópias mundo afora), rendeu cerca de 8 milhões de euros.


Poltronas russas do século 19 em mogno e ébano, vendidas por 27.500,00 libras


Sofá estilo Napoleão III, do século 19, vendido por 16.250,00 libras

Embora nenhuma cabeça de bronze tenha sido reclamada pela China, uma mesa do século 17 foi retirada de um dos lotes pouco antes do evento, sob acusações de “procedência duvidosa”. O tal móvel teria pertencido ao major George Maule e constava nos registros do ALR, órgão que regulamenta antiguidades roubadas do Patrimônio Histórico. Confira a seleção allexincasa e dê o seu lance…

Banquetas do ano 1830, arrematadas por 6.250,00 libras


Cadeira do início do século 20, vendida por 9.375,00 libras

Enquanto isso, no Brasil, estão rolando várias homenagens póstumas ao Clodovil, celebrity que eu adoro (pronto, confessei). Ouvi diferentes versões sobre o que será feito de sua casa em Ubatuba – paraíso cheio de estilo e personalidade, com banheiros outdoors e living na areia. Uma delas dá conta de que a mansão vai virar museu, aberto a visitação pública; a outra, de que seria a sede das “Casas Clô”, entidade filantrópica dedicada a mulheres carentes.


Par de poltronas em mogno com detalhes em bronze, século 19, vendido por 24.500,00 libras


Banco anglo-indiano de 1830, vendido por 6.250,00 libras

Seja qual for o destino, que a Clodolândia seja preservada como memória do verdadeiro gênio que ele foi, notável em sua (s) arte (s) e autêntico como nenhuma outra pessoa que eu tenha conhecido. Polêmico sim. E daí? Salve, salve Clô!


Banquetas de mogno com detalhes em bronze, provavelmente do império russo de 1825, arrematadas por 16.250,00 libras


Molheira francesa de 1798 feita por Nicholas Richard Masson, vendida por 2.750,00 libras

Veja todos os itens de Gianni Versace que foram leiloados nesse link.

Written by AllexInCasa

março 25, 2009 at 7:32 pm

Quanto vale o show?

leave a comment »

Você pode até dizer que há controvérsias na minha teoria, mas acredito piamente no estilo dos estilistas, dentro e fora do closet (quem acompanha o blog, sabe que sou um caçador das conexões entre moda e décor).

Na órbita da estética, as duas categorias têm ligações tão intrínsecas que é quase tão certo quanto a lei da gravidade: quem entende de uma coisa, manja – ou pelo menos se vira bem – com a outra.

Todo esse blablablá aí em cima só para falar sobre dois mega-eventos que deixaram os dealers de arte e antiguidades mais finos do planeta em estado de polvorosa de fazer inveja ao saldão anual do Magazine Luiza.

Yves Saint Laurent e Gianni Versace, cardeais da indústria fashion que já partiram desta para uma melhor, deixaram, cada qual à sua maneira, muito mais do que um rastro de linha, agulha, glamour e “covers”. Suas coleções super extravagantes de móveis, arte, objetos e traquitanas em geral, são tão poderosas, mas tão poderosas, que desencadeiam até constrangimentos diplomáticos.

Realizado pela Christie’s há duas semanas, o leilão de Yves Saint Laurent, que arrecadou quase 400 milhões de euros e bateu todos os records de coleções privadas, com direito a tela de Matisse arrematada por quase 36 milhões de euros, incluiu outras duas peças tão curiosas quanto valiosas: um par de cabeças chinesas de bronze (um rato e um coelho), originais da fonte zodiacal do Palácio de Verão do Imperador Quianlong (1735-1795), pilhado pelos franceses e ingleses durante a invasão chinesa, em 1860.


A obra “Les coucous, tapis bleu et rose”, de Henry Matisse, foi vendida por € 35.905.000,00

Durante anos, a China vasculhou terras, mares, céus e galáxias em busca dos bichinhos e… bingo! Lá estavam eles enfeitando a penteadeira do chateau de Monsieur Laurent. Numa suposta tentativa de negociação vazada para a imprensa, o Governo de Pequim teria se indisposto com Pierre Bergé, companheiro e sócio do estilista, que se disse disposto a devolver as duas cabeças – desde que o Dalai-Lama pudesse voltar ao Tibete.


Cabeças de coelho (esq.) e rato (dir.) – juntas, as peças foram arrematadas por € 31.490.000

“Exercer uma chantagem política é prosseguir de fato com a política baseada na força, algo que a História rejeitará”, declarou Jiang Kun, membro da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês e vice-presidente da Associação Chinesa de Artes Folclóricas. Reza a lenda que espiões chineses tentaram dar lances milionários no leilão, mas as cabeças foram parar em outra freguesia – pela quantia módica de R$ 28 milhões de euros. Pode? Em homenagem a Saint Laurent, seguem o ratinho e coelhinho da discórdia e mais o top 10 do acervo do homem, na minha humilde opinião.

Como o post ficou longo pra chuchú e eu sei que você tem mais o que fazer, amanhã faço o meu top 10 da coleção de Versace, que rolou no último dia 18, com muita disputa, mas pouca desavença (UPDATE: veja aqui o top 10 do leilão Gianni Versace). Beijos!


Poltrona de Eileen Gray, arrematada por € 21.905.000,00


Escultura de Constantin Brancusi, “Madame L. R.”, leiloado por €29.185.000,00


Jogo de cadeiras do século 18, arrematado por €961.000,00


Chaise de Emile-Jacques Ruhlmann, vendida por €91.000,00


Tapeçaria da época de Louis XIV, arrematada por €553.000,00


Par de leões esculpidos no latão (séc. 16 ou 17), vendidos por €73.000,00


Sofá da corte de Louis XV, arrematado por €361.000,00


Cadeira de mármore em formato de pombo de François-Xavier Lalanne, vendida por €193.000,00


Poltronas em madeira dos Anos 1920, arrematadas por €103.000,00


Sofá do século 18, vendido por €157.000,00

+ Veja todas as peças de Yves Saint Laurent que foram leiloadas pela casa Christie’s aqui.

Written by AllexInCasa

março 24, 2009 at 1:17 pm

Capi(pop)tonê

leave a comment »

Mais uma do bambambã Marcelo Rosenbaum: sofazões sob medida para a Mannes, fábrica de colchões, estofados e espumas do Sul do Brasil que agora aposta as fichas no design assinado para hypar os seus produtos.

Com aquela verve pop-retrô que é mais do que marca registrada do seu traço, Rosenbaum bolou quatro modelões para a empresa: Goma (sofá com módulos que se unem para variar o tamanho ao gosto do freguês); Libra (poltrona e sofás de 2, 3 e 4 lugares); Coroa (poltrona de dois braços, encostos alto e baixo, e sofás de dois e três lugares); Capa (sofá com assentos para um, dois ou três lugares e a opção da chaise).

Com variedade de cores e tecidos, dá para escolher entre linho, couro, algodão e neoprene. Na foto, shape colchão-capitonê estilizado, em look prata da casa, bem no clima desta segunda-feira preguiçosa.

Written by AllexInCasa

março 23, 2009 at 12:18 pm