AllexInCasa: pra quem sempre volta pra casa

Just another WordPress.com site

In casa com os Stones

with 12 comments

Li na Ilustrada de ontem uma entrevista que o jornalista Ivan Finotti fez com o fotógrafo dinamarquês Bent Rej, que acompanhou a primeira turnê dos Stones, em 1965, após o boom do hit “Satisfaction”, porta de acesso da banda à estratosfera do rock. Rej registrou essas imagens antológicas no livro “Rolling Stones – O Começo”, lançamento da Larousse (www.larousse.com.br) que traz, entre muitas pérolas de bastidores, pequenos drops do life style dos garotos ingleses tão logo eles compraram suas primeiras casas. “Mostrá-los como pessoas normais foi inédito na época”, contou Rej à Finotti. “Roqueiros eram como deuses e sua vida privada era secreta. Eu até hoje não sei como eles me deixaram fazê-lo”. Clique aqui para ler a reportagem completa.

Óbvio que, quando se pensa nos Stones, a primeira coisa que vem à cabeça é a tríade sexo + drogas + rock’n roll, com direito a quebra-quebra de suítes presidenciais e móveis atirados do 20º andar de hotéis luxuosos – como a tchurma do heavy metal imitaria nas décadas seguintes.

Mas, mesmo desconfiando da pose angelical dos rapazes nessas ambientações bem-comportadas, o documento tem seus méritos. Além de valer pela curiosidade de espiar pela fechadura no melhor estilo “como viviam os ricos e famosos nos anos dourados”, o book mostra no pano de fundo um estilo neo-inglês de morar nos anos 60s, longe da sisudez classuda e das flores da Rainha, com móveis mais limpos (boa parte deles dinamarqueses), de desenho esguio, linhas retas, pés palito, tons sóbrios com cores pontuais aqui e ali. Um visual moderno, de fato, no compasso do iê-iê-iê e da cabeleira de Mick Jagger & cia.

Entre os episódios mais pitorescos, Rej contou um exemplo do quanto a vida imita a arte, por mais fake que a tal “arte” tenha sido na ocasião: “Keith Richards não tinha uma casa, ele morava com os pais. Então, reservamos uma suíte no Hilton Hyde Park e fingimos que ele vivia ali. Mas Richards gostou tanto que resolveu ficar de verdade. E morou lá durante alguns meses, o que fez a nossa história virar autêntica”.

Descortinando o fog londrino para a saideira, direto do meu baú oitentista, separei um momento “sobe o som” com a über-diva Aretha Franklin (neste clipe, aparentemente recém-saída de uma tela de Andy Warhol – aliás, foi o próprio papa da pop art quem assinou a capa de um dos álbuns mais blockbusters de Aretha, em 1986), aqui duelando com o Keith Richards (o stone sem-teto que se instalou no hotel-locação) e sua guitarra nervosa. Para arrematar, Whoopi Goldberg brincando de “Os Trapalhões” na Sessão da Tarde – aliás, a cena foi extraída de um filme pastelão dela. Mas a música é um clássico dos Stones: “Jumping Jack Flash”! Yeah, Yeah, Yeah…

Anúncios

Written by AllexInCasa

junho 17, 2009 às 6:00 pm

12 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. E o mobiliário dessa época voltou totalmente, não acha? Eu adoraria ter a estante da terceira foto na minha casa!!!!

    Renata Malachias

    junho 17, 2009 at 7:04 pm

  2. Pés palito? A-do-ro! rsrs
    Beijo, Allex!

    Lara Muniz

    junho 18, 2009 at 2:58 pm

  3. achei muito interessante as imagens, volta-se no tempo …

    Eduarda

    junho 18, 2009 at 4:21 pm

  4. É realmente um estilo próprio do que são os stones, ou seja, uma bagunça organizada, eu acho que faz parte de suas personalidades, portanto eu adimiro muito esses estilos e os absorvi!

    Anônimo

    junho 18, 2009 at 4:55 pm

  5. Du caralho

    dilson

    junho 18, 2009 at 6:26 pm

  6. realmente a estante é linda e todo o resto do imobiliario, gostaria de ter na minha res a mesa, as cadeiras, e o sofa

    erika

    junho 18, 2009 at 8:48 pm

  7. Adoro a mistura da madeira de demolição com vários tipos de materiais. E esta com vidro e logo em uma cadeira! Ficou surpreendente. Outro detalhe são os traços retos que demonstram singularidade e ao mesmo tempo traz a imponência que a madeira natural tem, não esquecendo é claro, da preservação do meio ambiente por se tratar de madeira reciclada.

    Andréia

    junho 18, 2009 at 9:40 pm

  8. Adoro a mistura da madeira de demolição com vários tipos de materiais. E esta com vidro e logo em uma poltrona! Ficou surpreendente. Outro detalhe são os traços retos que demonstram singularidade e ao mesmo tempo traz a imponência que a madeira natural tem, não esquecendo é claro, da preservação do meio ambiente por se tratar de madeira reciclada

    Andréia Anjos

    junho 18, 2009 at 9:44 pm

  9. Sensacional esta cadeira. Madeira de demulicao e acento e encosto de vidro, deram um charme e glamour todo especial a essa mobilia que ‘e tao fundamental e usual.
    Sofisticacao e elegancia.
    Trono moderno digno de um Rei!

    Adriana

    junho 19, 2009 at 9:18 am

  10. ai pagé veja os caras

    paulo

    junho 19, 2009 at 11:30 am

  11. Mick Jagger com cara de menino!!!!! Fantástico!!!!

    Delmar Viana

    junho 19, 2009 at 2:14 pm

  12. Putzzz! Que dá hora!
    Lembro-me bem quando morava sózinho em Sampa,
    a cozinha era do meu estilo, simples e muito bem cuidada,
    enquanto a estante tinha uma bem parecida com ela a casa fim de semana era cheia muito rock in roll e muita luta em Sampa.
    Acabei doando todos meus móveis para os favelados da Zona Sul.
    Velhos Tempos

    Gutto

    junho 19, 2009 at 2:16 pm


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: